quinta-feira, 23 de março de 2017

Novo BMW Série 5 chega ao Brasil 
com preços a partir de R$ 314.950


A BMW confirma para maio a chegada do novo Série 5 ao Brasil. A sétima geração do sedã será oferecida em duas versões, 530i M Sport (R$ 314.950) e 540i M Sport (R$ 399.950), ambas mais equipadas e com motores mais fortes, leves e eficientes em relação à geração anterior. Revigorado por dentro e por fora, o modelo traz uma ampla gama de tecnologias de assistência ao condutor e um padrão de conectividade jamais visto em um automóvel. "Trata-se de um carro fantástico, de forte apelo emocional, repleto de tecnologias e conectividade, e que personifica muito do que o BMW Group está desenvolvendo para o futuro da mobilidade premium", diz Nina Dragone, diretora de Marketing e Produto da BMW do Brasil.
Mais próximo da condução autônoma
Com inúmeros sistemas de assistência, o novo BMW Série 5 oferece um suporte inigualável ao motorista tanto em condições críticas de dirigibilidade quanto em situações menos exigentes, como em congestionamentos, na cidade ou na estrada. Para isso, o sedã vem com câmeras e sensores que monitoram a área externa ao seu redor. O pacote tecnológico agrega novos dispositivos como o Driving Assistant Plus, o Parking Assistant Plus e a mais recente versão do sistema BMW ConnectedDrive.
Referência internacional
Ícone mundial do segmento de sedãs executivos, o BMW Série 5 acumula cerca de 8 milhões de unidades vendidas desde o lançamento de sua primeira geração, em 1972. Nesse ano, foi criado não apenas um novo veículo, mas um novo segmento: os sedãs executivos. Desde então, o veículo vem sendo o mais vendido de seu segmento.

O custo da violência no trânsito brasileiro

Por Carlos Santana

A imprudência no trânsito mata cerca de 45 mil pessoas por ano no Brasil e deixa aproximadamente 600 mil com sequelas permanentes, conforme aponta o Ministério da Saúde. Isso significa que o país registra uma infeliz média de 123 mortes por dia – é como se a cada 24 horas caíssem quase dois aviões semelhantes ao que levava a delegação da Chapecoense. Em 2016, só o estado de São Paulo contabilizou 5.727 óbitos nas ruas e estradas, segundo o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

Por que a tragédia do dia a dia no trânsito, que poderia ser evitada com melhor formação do condutor e um cidadão mais consciente de seu papel, por exemplo, não nos impressiona tanto quanto a repercussão de um acidente aéreo? Será que perdemos a capacidade de indignação diante de um tema tão sério e que merece o engajamento de toda a sociedade?

Além do trauma que a violência no trânsito deixa em quem perde um ente querido, ela provoca um profundo impacto social e econômico. E quando se vive um cenário de recessão como o atual, o custo da imprudência nas ruas e estradas chama ainda mais a atenção. Se considerarmos os gastos com o resgate, tratamento hospitalar e reabilitação das vítimas; conserto de equipamentos de trânsito danificados nessas ocorrências, custo do atendimento prestado pela polícia e bombeiros; além do reflexo com a perda de cidadãos em idade economicamente ativa, o valor apontado chega a R$ 56 bilhões. A estimativa considera como referência o ano de 2014 e foi apresentada pelo Observatório Nacional de Segurança Viária.

Os dados dessa pesquisa vão além de tão somente trazer quanto custa a violência no trânsito. Ela tem uma faceta ainda mais preocupante quando mostra que, ao aplicar essa quantia no suporte às vítimas de acidentes de trânsito, simplesmente deixa-se de ter verba suficiente para construir anualmente 28 mil escolas de educação básica ou 1.800 hospitais. A conclusão é que perdemos a oportunidade de tratar do tema ‘educação no trânsito’ no começo da vida do cidadão, nas escolas, o que beneficiaria a formação de brasileiros/motoristas mais conscientes de seus deveres e do respeito às leis, especialmente às de trânsito.

O cálculo fica ainda mais dramático quando se constata que o gasto com auxílios-doença, aposentadoria por invalidez e pensões por morte contabilizaram R$ 25,6 bilhões, no período entre 2003 a 2012 no Brasil, de acordo com a Previdência Social. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), presentes em um estudo encomendado pela Secretaria de Políticas de Previdência Social, revelam ainda que na população de 15 a 29 anos – portanto, no ápice da idade economicamente ativa -, os acidentes de trânsito são considerados a causa principal de morte no país, com os homens sendo oito em cada 10 vítimas dentro dessa faixa etária.

Diante de tudo isso, e aproveitando a comparação inicial entre a realidade do trânsito e a aviação, pensando na formação de quem está no comando seja de um carro ou avião, por que para ser um piloto profissional é preciso passar por aulas em um simulador e para obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) essa realidade é ainda tão recente no Brasil? Esse é um exemplo de como a tecnologia deve ser usada a serviço de uma melhor formação, permitindo ao aluno vivenciar cenários extremos que enfrentará. Em meio a esse desperdício de vidas e dinheiro público, é a chance de usar o avanço tecnológico do simulador de direção para treinar os sentidos e a capacidade de tomada de decisão em uma fração de segundos, o que pode ser crucial em defesa da vida.

Indo além da modernidade, outro passo no sentido de mudar essa triste realidade cabe às mudanças recentes aplicadas no Código de Trânsito Brasileiro, especialmente a que torna mais grave a punição para quem for flagrado manuseando um aparelho celular enquanto dirige. O ajuste, colocado em prática no final de 2016, vem ao encontro dessa tentativa de tratar o tema educação no trânsito com mais seriedade. É necessário usar a tecnologia a favor do progresso humano e não fazer um mau uso dela ao misturar celular e direção.

Um trânsito mais seguro depende de cada um de nós. Um comportamento mais adequado nesse cenário não só significa respeito e empatia pelo próximo, mas também compromisso como cidadão de colaborar para o crescimento econômico e social do país.

Carlos Santana é diretor de relacionamento institucional da ProSimulador, empresa homologada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para fornecer simuladores de direção veicular para os Centros de Formação de Condutores (CFCs) de todo o Brasil.

Expedição com destino a Nova Iorque já coloca
os pneus Goodyear para rodar pela Bolívia

Serão pouco mais de dois meses até a tão esperada chegada à Big Apple. Mas antes os seis exploradores que integram a expedição São Paulo a Nova York sobre Quatro Rodas passarão por 14 países em um percurso de 23 mil quilômetros cheio de surpresas e belas paisagens. A Bolívia é o primeiro país além da fronteira, onde os viajantes passarão por cidades como Santa Cruz de la Sierra, Cochabamba, Potosí e La Paz.
Serão muitos os obstáculos que o modelo Mercedes-Benz GLA 200 Advance, equipado com quatro pneus Goodyear EfficientGrip SUV, terá que encarar. A aventura teve seu início na noite da última quarta-feira (15) partindo do Eataly São Paulo, na zona sul da capital paulista, e tinha como primeira parada Campo Grande, capital mato-grossense. Nesse momento, a expedição já mergulha em território boliviano após cinco dias de viagem, impondo os primeiros desafios para o grupo em estradas estrangeiras.

Tecfil comemora ser a marca de filtros mais lembrada e comprada do mercado, nos exatos 64 anos de existência


A Tecfil tem muito o que comemorar. Exatamente no dia 20 de março de 1953 era fundada a Sociedade Industrial Importadora e Exportadora Tecfil S.A., no Brás. 64 anos depois, com gestão da terceira geração da família, a empresa é a maior fabricante de filtros automotivos da América Latina e tem produtos nas linhas automotiva, motos e máquinas/agrícolas. Com cerca de 1.300 colaboradores, especializou-se no segmento, é referência no mercado e líder em reposição automotiva. É composta por dois centros fabris em Guarulhos, São Paulo, e um centro de distribuição, que juntos têm a área total de 118.000 m². Exporta para mais de 25 países.
Mas, as comemorações não param por aí. Em época de conquista de espaço no mercado e de concorrência acirrada, ter a empresa em destaque entre o público-alvo é uma grande conquista. A Tecfil celebra, também, ser a marca mais lembrada (Share of Mind) e comprada (Share of Market) do mercado de filtros.
A pesquisa “Marcas Preferidas” foi realizada pelo instituto CINAU (Centro de Inteligência Automotiva) em conjunto com o Jornal Oficina Brasil e envolveu reparadores de todo o Brasil. “É uma forma de atestar que as estratégias do nosso marketing em conjunto com o nosso comercial estão alinhadas e no caminho certo”, afirma Simone Minhoto Queiroz, Supervisora de Marketing da Tecfil.
E o trabalho continua. A empresa está em constante busca de atuação e de novos recursos e ideias inovadoras para que os filtros da Tecfil cada vez mais conquiste um lugar de destaque na memória do consumidor - o que equivale a um bom posicionamento da marca – e também se mantenha como o mais comprado.
FORD INOVA NA LINHA DE MONTAGEM
COM PROJETO DE TÉCNICA 3D EM FÁBRICAS NA RÚSSIA

A Ford vem ampliando, cada vez mais, o uso da impressão 3D em suas operações no mundo. Agora, a novidade é um projeto que utiliza componentes produzidos por impressão 3D na linha de montagem. Em fase inicial, em suas fábricas em Vsevolzhk e Naberezhnye Chelny, na Rússia, em parceria com a Sollers, ele tem como objetivo estabelecer um programa inédito de melhoria de eficiência. As peças fabricadas por esse processo garantem maior produtividade na produção e contribuem para a segurança dos operadores nas estações de trabalho.
Neste novo projeto, a  Ford Sollers já usa cerca de 30 componentes diferentes produzidos com essa tecnologia. Um deles, por exemplo, é um suporte de segurança que previne o enroscamento das luvas nos equipamentos. O baixo custo de desenvolvimento e fabricação é uma vantagem que estimula a criação de novas aplicações com esse processo. O plano da empresa é ampliar a gama de componentes feitos com a sua própria impressora 3D.
No início de março, a Ford já havia anunciado ser a primeira montadora a testar a impressora Stratasys Infinite Build 3D para a produção de peças automotivas grandes. Nessa etapa, os componentes são destinados à aplicação em protótipos, veículos personalizados e de competição. Capaz de imprimir peças para automóveis de praticamente qualquer forma ou  tamanho, essa nova técnica de impressão 3D pode revolucionar a fabricação de componentes de baixo volume e também de ferramentas.
A criação de uma peça por esse processo começa com o desenho de um modelo virtual usando um software especial, que divide o componente em fatias muito finas. A partir daí, a impressora 3D reconstrói a peça camada por camada, depositando plástico fundido até que ela esteja completa. Os benefícios da impressão 3D na área automotiva incluem a produção de peças mais leves para aumentar a economia de combustível. Um aerofólio impresso em 3D, por exemplo, pode pesar a metade do seu equivalente em metal fundido.
Stuttgart entrega as primeiras
unidades do novo Panamera no Brasil
 
A Stuttgart Veículos está entregando as primeiras unidades do novo Porsche Panamera aos compradores brasileiros. O Gran Turismo de quatro portas da marca alemã está disponível em duas versões no Brasil: Panamera 4S e Panamera Turbo. Além delas, a Stuttgart iniciou a pré-venda da versão híbrida Panamera 4 E-Hybrid e, em breve, abrirá a do Panamera Turbo S E-Hybrid.

O grande atrativo do Panamera é a união do conforto e espaço de um sedã de luxo com o comportamento dinâmico de um carro esporte. Apresentada na Europa em meados de 2016, a atual geração do Panamera tem mudanças significativas de estilo em relação às anteriores - a primeira foi apresentada em 2009. O carro ganhou uma identidade estilística ainda mais próxima do lendário Porsche 911. O Panamera 4S (R$ 758.000,00) tem motor V6 biturbo de 2.894 cm³ com 440 HP de potência, enquanto o Panamera Turbo (R$ 981.000,00) possui motor V8 biturbo com 550 HP.

Nas versões híbridas, o luxo e a esportividade são acompanhadas por um baixo consumo de combustível - 40 km/l no 4 E-Hybrid e 34,4 km/l no Turbo S E-Hybrid. Neles, a propulsão é provida pelos motores a combustão (respectivamente V6 biturbo e V8 biturbo) e por um motor elétrico. Ambos podem trabalhar em conjunto ou separadamente, de acordo com o modo de condução de momento e a carga da bateria do motor elétrico. No modo puramente elétrico, as duas versões têm autonomia de até 50 km. O Turbo S E-Hybrid, apresentado na Europa em fevereiro, é a versão mais potente da linha Panamera: 680 HP (funcionamento conjunto dos motores a combustão e elétrico). Na versão 4 E-Hybrid, a potência máxima do conjunto de propulsão híbrida é de 462 HP. O preço final das versões híbridas será definido em breve.
OSRAM apresenta nova linha de lâmpadas automotivas Lampled,
com tecnologia LED e luz branca agradável aos olhos
 
 
Pioneira e líder mundial em iluminação automotiva, a multinacional alemã OSRAM apresenta ao mercado as novas lâmpadas Lampled, projetadas com um design sofisticado para diferentes aplicações. Ao todo, são onze modelos de LEDs, com temperatura de cor elevada, que chega a 6.000 K, e proporciona uma luz mais branca, e agradável visualmente.
 
“Em uma comparação com as lâmpadas standard, a tecnologia LED chega a economizar até 80% de energia. A linha Lampled é uma aposta segura para quem busca a melhor da relação preço/desempenho. Se trata de um portfólio que alia tecnologia alemã e baixo custo, pois foi desenvolvido especialmente para o mercado da América Latina. São produtos projetados para não formar pontos de luz, o que garante conforto visual e aumenta a segurança do condutor”, declara Felipe Pegorelli, coordenador de vendas do canal OEM da OSRAM.  
 
A novidade está disponível em 11 diferentes modelos, separados entre aplicações internas (luz de teto, luz de leitura, luz do porta-luvas, luz da zona dos pés e do porta-malas, além do capô) e externas (luz da placa, luz de posição, luz traseira, luz de entrada da porta e indicador de direção da marcha).
 
Disponível na mesma base das versões standard (P21, P21/5, PY21W, R5W, R10W, RY10W, W5W, T4W, Torpedo 31 mm, 36mm e 41mm), a lâmpada proporciona uma iluminação homogênea, que contribui para um excelente efeito visual. O produto possui, ainda, garantia de dois anos e não demanda a utilização de nenhum sistema para conexão no veículo, pois sua instalação é simples.
FORD ANUNCIA A CHEGADA DO
NOVO MONDEO NA ARGENTINA


A Ford apresentou o novo Mondeo na Argentina, nas versões Titanium e SEL com motor turbo 2.0 EcoBoost. Equivalente ao Fusion já lançado no Brasil, o modelo para o mercado argentino segue as configurações da Europa, de onde é importado.
O evento para a imprensa em Buenos Aires contou com test-drive e uma apresentação do tenor Dario Voloté. O sedã de luxo chega ao país vizinho trazendo novidades no design e tecnologias semiautônomas avançadas que os brasileiros já conhecem no Fusion.
Como no Brasil, o Mondeo é um veículo de luxo posicionado para competir também com modelos do segmento premium do mercado argentino, com vantagens na tecnologia e no preço.
Liderança no Brasil
No Brasil, a linha Novo Fusion é vendida desde outubro do ano passado e conta também com as opções 2.5 Flex e Hybrid, mantendo a liderança absoluta da categoria. Nos dois mercados, o veículo chama a atenção pelo design elegante e esportivo e equipamentos como o assistente de frenagem autônoma com detecção de pedestres, operado por radar e sensores, inédito no segmento.
Tem ainda piloto automático adaptativo com “stop and go”, alerta de colisão com assistência de frenagem autônoma, estacionamento automático de segunda geração e sistema de conectividade SYNC 3 com tela de 8 polegadas e acesso a Apple CarPlay e Android Auto.
Outra novidade é o seletor rotativo E-shifter que substitui a alavanca de câmbio. Oito airbags, cintos de segurança traseiros infláveis, sistema de monitoramento de ponto cego, sistema de permanência em faixa, câmera de ré, sistema de detecção de cansaço e controle eletrônico de estabilidade e tração AdvanceTrac fazem parte dos itens de segurança.