sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Que tal testar um veículo autônomo do Grupo PSA?

O Grupo PSA é o primeiro fabricante de automóveis a obter as autorizações francesas para realizar testes em modo autônomo com condutores "não especialistas". Os testes começam a partir de março de 2017, com clientes que poderão testar os veículos autônomos do Grupo.
Esta nova etapa é um avanço significativo para o desenvolvimento da tecnologia dos veículos autônomos do Grupo PSA.
Os protótipos com condutores "não especialistas" poderão viajar por cerca de 2 mil quilômetros em estradas francesas.
Desde julho de 2015, os protótipos do Grupo PSA conduzidos por pilotos especialistas já percorreram 120 mil quilômetros em estradas expressas europeias.
A partir de 2020, alguns veículos do Grupo se beneficiarão de funções de condução autônomas que permitirão ao condutor delegar o controle total do automóvel.

BMW registra crescimento de 

mais de 400% nas redes sociais no Brasil



A BMW vem registrando um aumento significativo de seguidores brasileiros em seus perfis nas principais redes sociais. No Facebook, a maior rede social do planeta, que conta com mais de 1,6 bilhão de usuários, por exemplo, o perfil da BMW do Brasil fechou 2016 com 1,73 milhão de seguidores. No Twitter, que tem atualmente cerca de 320 milhões de usuários globalmente, a empresa soma mais de 30 mil seguidores. No entanto, foi no Instagram que a marca assinalou seu maior crescimento. O perfil da companhia adicionou, no ano passado, 119.210 novos seguidores, atingindo um crescimento surpreendente de 421% em relação ao ano anterior. O número de usuários do Instagram gira em torno de 600 milhões no mundo.
E a evolução expressiva da BMW do Brasil, que é a líder premium alemã nas redes sociais brasileiras (Facebook, Instagram e Twitter), está em sintonia com o progresso que o BMW Group vem alcançando na internet, um reflexo dos investimentos e iniciativas que a companhia vem empreendendo nos campos da conectividade e digitalização.
“Nossa estratégia para as redes sociais visa reforçar os valores da BMW, como o prazer de dirigir, a constante inovação e a alta tecnologia, compartilhando com nossos seguidores um estilo de vida relacionado à marca, que os incentiva a aproveitar a vida, além de instigar o desejo por nossos produtos“, comenta Nina Dragone, diretora de Marketing e Produto da BMW do Brasil.

Redes sociais globais
Para se ter uma ideia da amplitude e do engajamento da BMW em âmbito global, no último dia 9 de fevereiro, o perfil internacional da marca no Instagram superou a casa dos 10 milhões de seguidores, tornando-se a fabricante de automóveis mais bem sucedida nesta rede social. A conquista é resultado do envolvimento da empresa nas mídias sociais. O departamento de Marketing da BMW considera o Instagram mais que apenas um canal de comunicação digital. Em seu perfil, mais que seus produtos, a marca compartilha o estilo de vida da marca com seus seguidores, por meio de postagens sobre seus mais recentes modelos, menções à sua própria história ou vislumbrando o futuro da mobilidade.
Com foco claro em imagens marcantes e uma comunidade altamente interativa, o Instagram é o canal ideal para informar os valores da marca referentes ao prazer de dirigir, ao apelo estético e à inovação. Sua atenção está voltada para a cobertura de uma variedade ampla de temas com conteúdo relevante e que agrade aos usuários, expandindo seu envolvimento na forma de curtidas e comentários. O perfil da BMW no Instagram impressiona por sua gestão segmentada, duradoura e de publicações regulares, de conteúdo emocionalmente envolvente.
Além do marketing influenciador e eficaz, a BMW também comemora o envolvimento e o entusiasmo dos fãs individualmente. Sob a hashtag #BMWrepost, a BMW compartilha as imagens clicadas por entusiastas e fotógrafos amadores no próprio perfil para que elas sejam apreciadas ao redor do mundo. E o engajamento do seguidor, por meio da hashtag #BMWrepost, tem alcançado um sucesso retumbante. Não é por acaso que a hashtag #BMW foi utilizada mais de 19 milhões de vezes tornando a hashtag mais popular do setor automotivo mundial.
"O objetivo da nossa estratégia em mídias sociais é aperfeiçoar a forma como usamos as características especiais de canais específicos e disponíveis para nós", explica Jörg Poggenpohl, diretor de Marketing Digital da BMW. "O Instagram serve para iniciar o diálogo autêntico com seguidores em todo o mundo. É importante não apenas celebrar as nossas próprias conquistas, mas, acima de tudo, para compartilhar a emoção e o entusiasmo de nossos fãs e clientes com uma audiência de milhões".
A BMW reconheceu rápido o enorme potencial do Instagram. A empresa publicou sua primeira imagem na rede social, uma foto do BMW 650i Coupé, com pintura em acabamento high-gloss, no dia 30 de maio de 2012. Dois anos depois, a BMW alcançava seu primeiro milhão de seguidores. Desde então, a comunidade de fãs no Instagram cresceu exponencialmente, saltando de dois milhões de seguidores no início de 2015 para praticamente o dobro meses depois. Em setembro do ano passado, a BMW já havia superado a marca de oito milhões de seguidores.
A popularidade da BMW no Instagram confirma o sucesso da estratégia de mídias sociais da marca, que tem como atributos os parâmetros personalizados, o conteúdo individualizado, a edição profissional e a autenticidade. Além do Instagram, o Marketing da BMW também utiliza com sucesso os canais do Facebook, Twitter e YouTube.
BMW lança hotsite exclusivo de
pré-venda do novo BMW Série 5


Altamente sofisticado, conectado e equipado com as mais avançadas tecnologias de assistência à condução disponíveis em um automóvel premium, o novo BMW Série 5 estreia na internet brasileira. Nesta segunda-feira (20), a BMW do Brasil promove o lançamento do hotsite exclusivo de pré-venda da sétima geração do sedã. A página eletrônica, que é parte integrante da campanha de lançamento do novo BMW Série 5 no Brasil, pode ser acessada pelo endereço eletrônico www.novobmwserie5.com.br. E, por meio deste canal, além de conhecer de forma interativa detalhes e atributos daquele que é considerado a referência de inovação e esportividade dentre os sedãs de classe executiva, o cliente interessado tem a oportunidade de antecipar-se no processo de aquisição do veículo manifestando seu interesse.
 "O BMW Série 5 é um automóvel que representa muito para a marca. Ao longo dos anos, desde o surgimento da primeira geração, com o conceito de sedã executivo esportivo, no início da década de 1970, ele tornou-se sinônimo do autêntico prazer de dirigir, alcançando o equilíbrio entre performance, conforto e sofisticação. Agora, com a estreia da sétima geração no mercado brasileiro se aproximando, o lançamento do site de pré-venda reforça o posicionamento do Série 5, sob o ponto de vista da inovação tecnológica, outra particularidade do modelo", explica Nina Dragone, diretora de Marketing e Produto da BMW do Brasil.
Idealizado pela agência Rapp Brasil, sob o conceito Mobile First, ou seja, com prioridade e funcionalidade voltadas para dispositivos móveis, como smartphones e tablets, o novo hotsite tem design responsivo, capaz de adaptar seu layout automaticamente à tela em que é exibido. Voltado para que o usuário tenha a melhor experiência possível, por meio de uma navegabilidade ágil, objetiva e interativa, o hotsite traz conteúdo associado a imagens e vídeo exclusivo, além de exibir uma roupagem refinada e alinhada aos principais guidelines de design do BMW Group.
 A ativação da página também vem acompanhada por uma série de ações programadas, como a divulgação de vídeos-teaser, reveal e das principais tecnologias do novo BMW Série 5, além do envio de convites eletrônicos para conhecer o modelo, em primeira mão, aos potenciais clientes. A estratégia da campanha inclui ainda veiculação de publicidade digital em portais de conteúdo nacionais, mecanismos de busca, além de redes sociais. Todo o plano também leva em consideração o perfil do consumidor, com segmentação por idade, comportamento e hábitos de compra.
 Vídeo reveal do BMW Série 5, disponível no hotsite do produto: http://www.novobmwserie5.com.br/?autoplay=true.
FORD ANUNCIA TODA A LINHA ECOSPORT
COM TAXA ZERO EM 36 MESES

A Ford anunciou uma nova oferta do EcoSport, ampliando para 36 meses o financiamento com taxa zero de toda a linha 2017. Nesse plano, a versão FreeStyle 1.6, por exemplo, que tem preço à vista a partir de R$74.590, pode ser adquirida com uma entrada de R$44.754 e o saldo em 36 parcelas de R$871. A oferta é válida até 2 de março.
            Modelo mais vendido da linha, o EcoSport FreeStyle chama a atenção pelo visual esportivo, trazendo bagageiro de teto, faróis de neblina, rodas de liga leve de 16 polegadas e grade dianteira na cor London Grey. Já vem equipado com controle eletrônico de estabilidade e tração (AdvanceTrac), assistente de partida em rampa e sistema de conectividade SYNC com AppLink, que permite acessar  aplicativos de smartphones por comandos de voz.
            Outro item exclusivo do utilitário esportivo da Ford é a Assistência de Emergência, que faz uma ligação automática para o serviço de atendimento médico de urgência 192 do SAMU em caso de acidente com acionamento dos airbags ou corte de combustível, por meio de um celular pareado. Direção elétrica, computador de bordo, controle de rádio no volante, sensor de estacionamento traseiro e alarme volumétrico também estão na lista.
Os motores 1.6 e 2.0 potentes e econômicos e o equilíbrio para uso na cidade e lazer são outros atributos que mantém o EcoSport entre os carros mais desejados do mercado.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

FORD EUROPA DESENVOLVE SISTEMA
DE ALERTA DE BURACOS EM TEMPO REAL 
A Ford Europa está projetando um sistema avançado de mapeamento que avisa o motorista da presença de buracos nas ruas e estradas. A tecnologia, que está em desenvolvimento no continente europeu, permitirá a detecção em tempo real e o envio de um alerta no painel de instrumentos do veículo. A Ford já está fazendo os testes do sistema no Campo de Provas de Lommel, na Bélgica, onde há uma pista de 1,9 quilômetro com réplicas dos piores buracos do mundo. Também faz parte da pesquisa a avaliação do uso de sistemas de suspensão ativa para reduzir ao máximo a severidade dos solavancos e os danos causados por essas imperfeições no carro. Para essas análises, os engenheiros do Centro de Pesquisa e Inovação da Ford em Aachen, na Alemanha, contam com o uso de câmeras e modens. Essas tecnologias são combinadas para reunir informações detalhadas sobre os buracos e enviá-las para a nuvem, onde ficarão disponíveis em tempo real para uso de outros motoristas.
Mapeamento
“O mapa poderá mostrar um novo buraco no momento em que ele aparecer e alertar os motoristas quase que imediatamente sobre o perigo à frente”, afirma Uwe Hoffmann, engenheiro de pesquisa de tecnologias avançadas de controle de chassis da Ford Europa. “Nossos carros já possuem sensores que detectam buracos e agora queremos levar essa tecnologia a outro nível.” Na Europa, por exemplo, o gelo e a neve são um fator de deterioração das pistas. Quando o gelo derrete, o asfalto fica em péssimo estado, que se agrava ainda mais com a chegada das chuvas na primavera.Modelos como o Galaxy, S-Max e Mondeo (nome que o Fusion recebe no mercado europeu) já dispõem de sensores de controle dos amortecedores com mitigação de buracos, que detectam falhas na pista e ajustam a suspensão para reduzir possíveis danos no veículo.  

Muito além de carros
Estudo global da Ernst & Young (EY) mostra o que 
o setor automotivo deve fazer para acompanhar as novas demandas
O mercado automotivo sempre foi inovador e disruptivo, desde a substituição dos cavalos que puxavam as velhas carroças por motores movidos a combustão, até os novos protótipos, que não precisam nem mesmo de um condutor para se movimentar pelas cidades. Porém, ao mesmo tempo em que esse setor precisa apresentar lançamentos para se mostrar competitivo, novos aplicativos de compartilhamento, como o Uber e Cabify, surgem para mudar o panorama de um mercado que se mostrava consolidado como vital em todo o mundo.
Desde a criação dos primeiros modelos de carros no século 19, a indústria automotiva prosperou e amadureceu, se tornando um dos principais setores da economia mundial. Porém, com a consolidação, as montadoras se fecharam para uma mudança na administração e na forma de encarar as novas demandas do mercado e, esse bloqueio ao novo, fez com que, na proporção que novas formas de mobilidade surgiam, as vendas do segmento diminuíram expressivamente.
Com a demanda evidente do novo ecossistema de mobilidade e de seus desafios para colher melhores resultados em um futuro próximo, a Ernst & Young (EY), apresenta a pesquisa Remodeling for mobility, que traça um panorama sobre as barreiras que os players do setor estão encontrando em um mercado cada vez mais integrado e compartilhado.
Dadas as previsões para o futuro da mobilidade urbana nas grandes cidades, há potencial para novas ideias e soluções para as montadoras. Porém, para aproveitar esse gap, é necessário que essas empresas deixem o status quo de lado e apostem em inovação para se aproximar de seus clientes e se adaptarem ao novo momento do mercado.
“É necessário que essas grandes empresas, com alta confiabilidade no mercado, não tenham receio de fazer diferente e fiquem cientes que elas só terão êxito se enfrentarem seus antigos modos de operar, superando as restrições e repensando seu modelo de negócios”, afirma Rene Martinez, sócio de consultoria e líder da indústria automotiva da EY.
Segundo o estudo, os carros deixarão de ser o ponto focal da mobilidade, tornando-se apenas mais um elemento de uma plataforma muito maior de experiências adaptadas às necessidades multifacetadas dos consumidores individuais.
A perspectiva futura de um ecossistema integrado e colaborativo enfatiza o intercâmbio aberto de dados entre as partes interessadas para criar benefícios compartilhados, o que força as montadoras a assumir um papel igualitário, uma vez que o poder muda para a mão dos consumidores.
“Há pouco tempo, uma das metas de vida dos jovens era ter o carro próprio. Hoje, com as inúmeras ferramentas de compartilhamento, colaboração e o alto valor de manutenção de um automóvel, esse objetivo deixou de ser primordial. Estamos diante de uma geração que opta por vivenciar em rede com eficiência invés de se importar com a propriedade, diz Martinez.
A partir desse levantamento, a EY identificou cinco desafios inerentes que os fabricantes devem superar. A conversão desses problemas em oportunidades exigirá que eles mudem radicalmente seus pensamentos sobre seus clientes, parceiros de negócios, funcionários e - especialmente - eles próprios.
1. Inovação: Apesar de o mercado automobilístico ter uma história de aperfeiçoamentos e de os veículos de hoje serem muito mais técnicos e avançados do que no passado, a criação de um novo modelo de negócios, que enfatize uma maior diversidade de pensamentos, design e que abranja o risco e o fracasso é primordial.
Segundo os dados do levantamento, poucas companhias têm uma abordagem sólida para desenvolver e avaliar novas ideias. Portanto, apesar de as montadoras empregarem graus variados de experimentação em seus projetos, poucas estão engajadas em maneiras verdadeiramente inovadoras para revolucionar o seu próprio negócio.
2. Conectividade: As montadoras precisam ver os consumidores como indivíduos para quem as experiências, produtos e serviços devem ser personalizados. Este tema é especialmente crítico, principalmente com as novas gerações, que se acostumaram com serviços móveis e sob demanda. O grande problema é que esses players não têm nenhum tipo de relacionamento contínuo com os consumidores. Após uma única transação, as interações com os clientes são infrequentes e impessoais e, em muitos casos, gerenciadas por uma concessionária terceirizada. Portanto, o contato desse consumidor com a marca é praticamente inexistente.
Em contrapartida, os potenciais operadores no mercado e os principais fornecedores de partilha de viagens se beneficiam de uma ligação muito mais estreita com seus clientes, por meio de avaliações diretas e respostas pessoais no aplicativo e nas redes sociais. Como as escolhas dos consumidores está cada vez mais baseada nas suas experiências, a conectividade entre as empresas e seus consumidores será a chave para o sucesso.  Por isso, é prudente que as montadoras melhorem drasticamente a capacidade de interação e de oferecer serviços on demand.
3. Colaboração externa: As montadoras estabeleceram por anos uma relação muito rígida com o mercado e seus parceiros, porém, a nova indústria de mobilidade requer um trabalho de colaboração mais amplo, envolvendo todos os parceiros do ecossistema. Apesar de terem motivações e objetivos diferentes, todas as engrenagens desse mercado devem compartilhar experiências e informações, a fim de oferecer um serviço focado e personalizado aos seus clientes.
4. Novos talentos: A indústria automotiva sempre buscou os melhores engenheiros automobilísticos e mecânicos do mercado, porém, nunca apostou em inteligência artificial ou cientistas de dados. As construções organizacionais tradicionais e os modelos de compensação e incentivos impedem as empresas de atrair e reter o talento necessário para inovar e sustentar um negócio disruptivo.
Uma pesquisa com jovens profissionais de empresas de tecnologia e startups apontou que esses especialistas não enxergam o mercado automotivo como inovador. Isso mostra que o grande desafio do segmento é propor novos modelos de trabalho para desenvolver e reter talentos em sua força de trabalho.
5. Modelos operacionais desatualizados: As grandes companhias preferem alavancar seus antigos processos operacionais e sistemas ao invés de investir em novas formas de executar essas ações. No entanto, vários desafios relacionados à governança, inovação, parcerias, retenção de talentos e serviços de back-office surgem da excessiva dependência do modelo operacional básico do negócio. Por isso, ao passo que as montadoras criem novas unidades de negócios para competir na nova indústria, devem também projetar modelos operacionais condizentes a essas unidades.
Comemoração dos 50 anos do Ford Galaxie
é destaque no IV Encontro Brasileiro de Autos Antigos

De 20 a 23 de abril, a Praça Adhemar de Barros, em Águas de Lindóia, será o cenário perfeito para os apaixonados pelo Ford Galaxie. É que em 2017 o carro completa 50 anos de fabricação no Brasil e o IV Encontro Brasileiro de Autos Antigos integra as comemorações. 
Durante o evento o Galaxie Clube do Brasil fará a entrega de 4 troféus exclusivos para os veículos mais emblemáticos e ainda realizará o sonho dos galaxeiros: formar uma linha do tempo com todos os modelos do maior carro já produzido no país. A expectativa é reunir aproximadamente 70 Galaxies vindos de diversos estados do país.
A exposição contará com modelos únicos e exclusivos como por exemplo o Galaxie Ambulância, feito pelo departamento de estilo da fábrica da Ford. Único no mundo, este veículo está perfeitamente preservado, como saiu da fábrica, em 1969. 
Também são destaques os modelos de 1967 e suas cores com nomes espaciais: Vermelho Marte, Bege Terra, Verde Júpiter, Preto Sideral, Cinza Cósmico, Azul Infinito, Azul Ágena e Branco Glacial.
A exposição contará ainda com os raros modelos de 1983, último ano de fabricação do veículo no Brasil. O Landau, último modelo da linha Galaxie produzido em edição limitada naquele ano – apenas 125 exemplares – também integrará a exposição.
O IV Encontro Brasileiro de Autos Antigos oferece uma viagem no tempo e uma oportunidade de apreciar e conhecer um pouco mais sobre a história deste que é o primeiro veículo de passeio produzido pela Ford no Brasil. Galaxies de todos os anos, modelos e versões de acabamento estarão expostos na cidade que é um ícone do antigomobilismo brasileiro.

Serviço

IV Encontro Brasileiro de Autos Antigos
Data: De 20 a 23/04/2017
Local: Praça Adhemar de Barros – Águas de Lindóia/SP
Entrada: Gratuita
Inscrições: Para participantes com veículos, sem veículos e veículos à venda pelo site www.encontroaguasdelindoia.com.br
Audi Q3 1.4 Flex produzido no Brasil chega ao mercado  
     A Audi do Brasil deu início à produção de mais um carro na sua linha em São José dos Pinhais, no Paraná. A montadora passa a fabricar também o Q3 1.4 TFSI Flex com 150 cv de potência. O carro é o segundo da marca com a tecnologia bicombustível produzido localmente e já está sendo distribuído nas concessionárias do país nas versões Attraction, Ambiente e Ambition. “Agora passamos a oferecer também a versão flex do SUV premium mais vendido no país em 2016, que chega muito alinhada às necessidades do consumidor brasileiro. Temos certeza que, assim como o A3 Sedan flex, o modelo será um sucesso de mercado”, afirma Herlander Zola, diretor de marketing da Audi do Brasil. Com linhas inspiradas nos cupês esportivos e soluções de design inovadoras para a categoria dos SUVs, o Q3 deixa claro, à primeira vista, seu caráter premium. As linhas horizontais predominantes na frente e na traseira do veículo reforçam a impressão de largura e marcam a expressividade do design. Na dianteira, o elemento principal é a grade trapezoidal. A atitude desafiadora do modelo é ressaltada pelos faróis de xenônio e pelas luzes de condução diurna de LEDs. Internamente, oferece amplo espaço e alta segurança para até cinco ocupantes. O porta-malas leva até 460 litros de carga e pode ser ampliado pelo rebatimento parcial ou total dos bancos traseiros para acomodar um volume que chega aos 1.365 litros. A rígida estrutura do Q3, associada a uma suspensão cuidadosamente desenvolvida, proporcionam um rodar seguro e confortável tanto no trânsito urbano como na estrada. A boa altura livre em relação ao solo permite encarar com desenvoltura até caminhos mais acidentados. A versão de entrada, Attraction, conta com rodas de liga leve de 17 polegadas, enquanto a Ambiente e a Ambition trazem rodas aro 18. A grande novidade do modelo é o novo motor flex 1,4 litro turboalimentado e com injeção direta de combustível, que desenvolve potência máxima de 150 cv entre 4.000 e 6.000 rpm e um generoso torque de 250 Nm, disponível entre 1.500 e 3.500 giros, tanto com etanol quanto com gasolina. As peças que mantêm contato com o combustível, como tanque, galerias, bombas de alimentação, entre outras, recebem tratamentos diferentes para o etanol. Além disso, o propulsor possui um sensor que reconhece a mistura de combustível antes da queima devido à maior precisão exigida por um sistema com turbina, criando uma referência para o módulo de injeção – que também tem calibração diferente. A tecnologia TFSI flex garante baixos índices de consumo e emissões de CO2 e é complementada pelo sistema start/stop, que desliga o motor quando o carro é imobilizado, reativando-o imediatamente quando o motorista alivia o pedal do freio. Os atributos do motor são potencializados pela dinâmica transmissão S tronic de seis velocidades. Com dupla embreagem, o câmbio realiza trocas de marchas com extrema rapidez, sem deixar que a rotação do motor caia. A caixa S tronic pode funcionar de forma automática, permitindo trocas manuais por meio da alavanca no console ou pelos shift paddles, instalados junto ao volante multifuncional. Com esse conjunto, o Q3 alcança os 100 km/h em 8,9 segundos e atinge uma velocidade máxima de 204 km/h com ambos os combustíveis. Em todas as suas versões flex, o Q3 oferece uma generosa lista de equipamentos. O modelo Attraction conta de série com ar-condicionado, bancos de couro sintético, ajuste elétrico do banco do motorista, faróis de xenônio com limpadores, volante multifuncional revestido de couro com shift paddles, rádio Concert com conexões auxiliar e Bluetooth, computador de bordo e sensores de luz e chuva. O freio de estacionamento tem acionamento elétrico e o motorista conta com a conveniência e segurança do assistente de partida em aclives, que evita o recuo do carro. A versão Ambiente traz adicionalmente ar-condicionado automático com duas zonas, espelho interno com função antiofuscante automática, controle de velocidade de cruzeiro, soleiras de alumínio, retrovisores externos rebatíveis com ajustes elétricos e sensores de estacionamento traseiros e dianteiros. Para esse modelo, a lista de opcionais inclui teto solar panorâmico Open Sky, abertura e fechamento elétrico do porta-malas, pacote interno de luzes de LED e Pacote Conveniência, composto por Auto Hold, Audi Lane Assist e assistente de luz alta. Já a topo de linha Ambition recebe ainda acabamento interno de alumínio, controle de cruzeiro colorido, teto solar panorâmico Open Sky, pacote de luzes, abertura e fechamento elétrico do porta-malas, rádio MMI e sistema de navegação. Os opcionais da versão são faróis full LED, Pacote Conveniência e Pacote Tecnológico, que inclui sistema de som Bose, Audi drive select, keyless entry e sistema Auto Park com câmera de ré.
      Dados técnicos
Motor: 1.4 TFSI flex
Cilindros: 4 em linha
Cilindrada: 1.395 cm³
Potência: 150 cv entre 5.000 e 6.000 rpm (E e G)
Torque: 250 Nm entre 1.500 e 4.000 rpm (E e G)
Tração: dianteira
Transmissão: S tronic, seis velocidades
Comprimento: 4.388 mm
Largura: 1.831 mm
Altura: 1.590 mm
Distância entre eixos: 2.603 mm
Peso: 1.405 kg
Capacidade do porta-malas: 460 l
Tanque de combustível: 64 l
Aceleração 0-100 km/h: 8,9 s (E e G)
Velocidade máxima: 204 km/h (E e G)
Preços sugeridos
Audi Q3 Attraction 1.4 TFSI flex  S tronic – R$ 143.190
Audi Q3 Ambiente 1.4 TFSI flex  S tronic – R$ 154.190
Audi Q3 Ambition 1.4 TFSI flex  S tronic – R$ 170.190